Páginas

Seguidores

Matheus tem...

Guia Infantil

sábado, 21 de janeiro de 2012

TEMPO DE DESCOBERTAS - Papo de pai


Estou invadindo o espaço das mamães, para deixar aqui uma visão de pai. Sim, não sou a Mamãe de Matheus, mas sim o pai de Matheus e vim compartilhar uma visão minha de pai e também educador sobre os passos do nosso pequeno. Faz tempo que queria escrever algo sobre nosso pequeno e postar por aqui, mas espero que a dona deste espaço permita um pouco mais este intercâmbio. O Matheus completou em outubro passado seis anos e desde então vem demonstrando uma mudança de comportamento compatível com a sua faixa etária, algumas destas mudanças bruscas, outras nem tanto, mas mudanças. Algumas destas mudanças ligam o nosso sinal de alerta de pais e deixam uma preocupação no ar: "Será que estamos no caminho certo na educação do nosso filho?" Se estamos no caminho, não sabemos responder com exatidão, o que podemos responder é que estamos "tentando", e isso é o que eu acho mais importante. A educação não é calcada numa cartilha, num manual em que você pode seguir a risca o que está escrito ali e que ao final terá um resultado satisfatório. Pelo contrário, a educação é calcada em TENTATIVAS, que podem te levar a acertar ou errar, mas sempre são tentativas. 
Mas retorno ao título da postagem "Tempo de descobertas", pois gostaria de falar disso, da descoberta dos pequenos e da nossa descoberta, diante da descoberta deles (parece complicado, mas é maravilhoso). 
Descobrir o desvelamento da escrita, as primeiras letras e rabiscos, a perda dos dentes de leite já indica que uma fase está começando e outra está se encerrando (Semana passada perdeu dois dentes!). A descoberta da sexualidade (não estou incitando ou propagando o sexo entre crianças), mas este é um delicado assunto, mas que merece ser apresentado, debatido e discutido de uma maneira diferenciada e se possível por nós (pais), através de uma conversa lúdica, utilizando uma linguagem diferenciada,  porém não enganosa a respeito do assunto. Digo isso, porque percebo no Matheus uma fase onde ele está começando a demostrar a curiosidade pelo assunto, as brincadeiras com seus bonecos começam a apresentar cenas de beijo, por exemplo, essa semana aconteceu com a mãe uma cena constrangedora, onde o Matheus levantou a saia de uma amiguinha. A Daiane enquanto mãe, ficou com vergonha, não sabia o que falar para a mãe da menina, mas o fato de ele ter feito isso, o qualifica como um pervertido ou tarado aos seis anos? Seus pais não estão dando o devido exemplo? As amizades estão influenciando demasiadamente a ponto dele reproduzir isso com as demais amiguinhas? Sei lá, pode ser tudo isso, ou pode ser nada disso, pelo contrário, penso que ele está entrando numa fase em que temos que ter cuidado com o que dizer, mas também temos que ter a consciência de que nossos pequenos vivem num mundo real, e por isso temos que redobrar nossa atenção ao o que eles estão assistindo, o que e com quem eles estão brincando e com quem estão se relacionando, mas quando estão na escola perdemos um pouco este controle, o que pode ser ruim para nós, pais super protetores, mas bom para eles, pois conseguem desbravar o mundo e começar a construir o seu mundo com as suas referencias, suas particularidades, seu modo de encarar a vida, mesmo que este não seja o "meu" modo de ver a vida, mas creio que é assim que nossos filhos criam suas próprias asas. 
Mas o vídeo acima, é do filme "Up - Altas aventuras", um belíssimo filme de animação, que trata de muitos temas que podem ser discutidos dentro de nossas residencias com nossos pequenos. Ontem assistíamos novamente e tem uma cena em que a esposa do Carl, o personagem vovô morre, e o Matheus começou a chorar muito, vertia lágrimas, então foi um oportuno momento de falar sobre morte com ele, e até dei o exemplo da minha mãe, que também perdeu o meu pai e ficou sozinha. Falei que a vó também passou por isso, e isso faz parte do ciclo da vida. Fiquei feliz de assistir a cena do meu filho chorando, porque isso demostra que dentro daquele coraçãozinho tem sentimentos, tem emoção, tem transformação e fantasia batendo pulsante e que através destes filmes podemos estar discutindo as transformações e descobertas que fazem parte deste pequeno (grande) universo que é ser pai, mãe e filho. 
Até a próxima, se a Daiane permitir e vocês gostarem.

Texto elaborado por Diego Ferreira. Papai do Matheus. Educador. Professor e diretor de teatro.  Blogueiro. Conheça um pouco mais do meu trabalho nos blogs VÁLVULA DE ESCAPE e OLHARES DA CENA

9 comentários:

Edilene disse...

Adorei o texto! Também tenho uma filho, ele está com 7 anos e também está fazendo descobertas e cada dia mais curioso. Acredito que é uma fase e que algumas atitudes deles independem do exemplo de casa ou da influência dos amiguinhos. É natural da idade. Óbvio que a nós pais cabe a orientação, a astúcia de tentar suprir a curiosidade deles sem aguçar ou inibir também. Quanto ao filme, eu amo. É muito lindo! E excelente para se falar de assuntos como morte, respeito ao idoso e muito mais. Tomara que a Daiane te libere mais espaço para escrever, pois é muito bom ter uma visão masculina sobre a educação dos meninos. Parabéns! Abraços à família. Bom Domingo!

Recanto das Mamães Blogueiras disse...

Olá Diego!
Que ótimo texto. Eu também tenho uma filha de 6 anos e as descobertas tem sido constantes.
Nós como pais precisamos pedir sempre a sabedoria de Deus para poder sempre estar ajudando-os em tudo que podemos.
Grande abraço de toda Equipe Recanto e fiquem na paz!

Priscila Sant'Anna: disse...

Olá Diego!

Interessante ler teus questionamentos.
Matheus realmente está em uma fase de mudanças e descobertas. Este ano ele vai para a escola ser alfabetizado; ele também está perdendo os dentinhos de leite, já está a espera dos dentinhos permanentes e tudo isso caracteriza uma mudança de fase na infância.

A curiosidade sexual é totalmente normal, tanto na primeira infância como nas fases seguintes, sim. O fato de ele ter levantado a saia da menina para olhar a calcinha,pode ter sido uma curiosidade ou um repetição (pode ter visto um amiguinho fazer o mesmo), o que ele não deve é repetir constantemente estes atos.

É aí que entra a participação dos pais. É o momento de orientar, de conversar, de lapidar, de ensinar que a nossa liberdade termina quando começa a do outro.

Abraços,
Priscila

Mamãe Cristã disse...

Mas que beleza o papai participando desse cantinho! É tão bom ver uma família unida e criando o filho em harmonia. O Matheus está ficando um mocinho, se emocionando e tudo, rs! E que bom que ele tem uma estrutura familiar e pais tão atenciosos com ele, beijinhos

Chris Ferreira disse...

Oi gente,
que barato!!! Adorei a participação do papai do Matheus: pela iniciativa e companheirismo no blog da mamãe do Matheus e pelo texto! Muito bacana!
Beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com

Bia Mello disse...

Ola Diego,
Gostei muito do seu texto e da sua participacao. Digo isso porque muitos pais participam ativamente da educacao dos filhos, mas têm receios de se expressar pelos blogs, por diversos motivos.
Enfim, acho que cada fase dos nossos filhos merece dedicacao e esforços peculiares, ne? Matheus está numa fase linda, porém requer mesmo muita paciencia e ensinamentos por parte de vcs! Boa sorte, tenho certeza de que vcs sao excelentes pais e vao tirar de letra, assim como já têm feito!
Abraco,

Andréia Sales disse...

Que legal que vocês estão de volta, depois das férias.
Renova o animo e traz muitas histórias pra contar.
Bom eu ainda não cheguei lá, Samuel está com 1 ano e descobrindo o mundo.
Bjks pra vcs.

Miguel...Presente de Deus disse...

Muito bom seu texto Diego. Matheus está na fase de descobertas que precisam de muita sabedoria,e me parece que vocês tem se saído muito bem,tem que conversar com ele mesmo,brigar não adianta porque ele está descobrindo o mundo,é uma criança que ainda não sabe o que é certo e o que é errado,cabe a nós pais esclarecer e dizer o que pode fazer ou não, tenho certeza que ele entenderá. E não se preocupem com o que as pessoas a sua volta vão pensar se ele levantar a saia de uma coleguinha,rs Só vai pensar que a culpa é dos pais quem não tiver filhos.
A solução é muita conversa mesmo,sei que meu chuchuzinho Daiane ficou muito nervosa,Mas oh amiga fica não viu,com paciência você e o Diego vão tirar de letra,afinal Deus está no controle ne?


Carla e Miguel

Selma disse...

Oi Diego...post excelente e instrutivo também, parabéns pela iniciativa de como pai dividir as responsabilidades na educação do filhote, acho muito importante que os pais façam isso juntos.

Digo isso porque infelizmente têm pai que acha que isso cabe a mãe, e tenho um exemplar em casa. Meu marido pela educação super rígida que teve, é um exemplo e tenho que dar uns "choques" nele de vez enquando.

Volte hein..
Abraço.
Selma